fechar

Resumo de novelas

MENU



Além do Tempo marca a volta da narrativa folhetinesca

por: Adrien Carlos Duarte em Colunas e críticas das novelas
na data: 21/07/2015 | 09:57

Se existia alguma dúvida de que a fórmula folhetinesca ainda dá certo, Além do Tempo está aí para derrubar. Com uma narrativa que remete aos dramalhões clássicos, a novela mostrou em sua primeira semana, que a história da mocinha inocente e chorosa, à espera pelo seu herói no cavalo branco ainda funciona muito bem, obrigado.

Paisagens do Sul do Brasil encantam (Foto: Reprodução)
Paisagens do Sul do Brasil encantam (Foto: Reprodução)

Com pinceladas fortes e dramáticas, a história de Elisabeth Jhin tem mostrado competência exatamente naquilo que as últimas novelas da emissora têm fugido: da narrativa clássica de novela. A direção forte e segura de Pedro Vasconcelos, sem grandes arroubos, cativa exatamente por não escapar em nada daquilo com que o telespectador se acostumou durante anos em frente à televisão.

Fotografia com pinceladas dramáticas (Foto: Reprodução)
Fotografia com pinceladas dramáticas (Foto: Reprodução)

A direção de núcleo também tem nos garantido muitos presentes. Basta observar a atuação das veteranas Irene Ravache e Ana Beatriz Nogueira que, completamente entregues aos seus papéis, conseguem brilhar mais o que os próprios protagonistas. Louise Cardoso também está confortável no papel, como era de se esperar de uma atriz com a experiência dela, assim como Carlos Vereza, de volta as telenovelas depois de permanecer fora das telinhas desde Amor Eterno Amor, em 2012. Vale citar a sempre segura Nívea Maria e o competente Luis Melo que dispensam comentários.

Figurinos detalhados (Foto: Reprodução)
Figurinos detalhados (Foto: Reprodução)

Aos protagonistas ainda resta mostrar ao que vieram, já que a trama, apesar de bem escrita, ainda não exigiu grandes esforços deles. A fotografia e a cenografia afiada e detalhada ainda são pontos a serem ressaltados, já que o filtro de cor mais escuro utilizado nas imagens foi um risco grande depois de o público se habituar à ensolarada Sete Vidas. Enfim, é bom ver novamente uma novela de época - embora nem a emissora nem a autora da trama a classifiquem assim - novamente na faixa das seis. Horário que praticamente imortalizou o formato.


Comentários
TOPO