fechar

Resumo de novelas

MENU



Globo Repórter relembra 50 anos da Globo

por: Adrien Carlos Duarte em Colunas e críticas das novelas
na data: 27/04/2015 | 13:23

O jornalístico apresentado por Sérgio Chapelin e Glória Maria abordou a trajetória dramatúrgica e jornalística da emissora, e conseguiu ir mais longe do especial que foi ao ar no dia posterior, que apesar de ter tido o mesmo tempo de duração, contou muito pouco da história da Globo. Tendo o formato de show, o especial serviu como grande homenagem aos saudosistas, ou seja, aqueles que passaram grande parte da sua vida de olho na programação de Globo e já conheciam um pouco dessa história.

Já o Globo Repórter conseguiu ir mais fundo, em grande parte devido ao próprio formato do programa, que permitiu que os bastidores da emissora fossem mostrados de maneira mais abrangente ao telespectador. Tudo foi revisitado, desde a construção de cenários até a fundação da própria empresa. Ali ficou claro o profissionalismo que levou a emissora ao posto que ela tem atualmente: segunda maior emissora de televisão aberta do mundo.

É claro que essa trajetória tem os seus percalços e polêmicas, mas a emissora possui méritos que não podem ser negados. Sua influencia na cultura e na informação, transmitidas diariamente para o país inteiro através de suas telenovelas e de seus jornais, quase que desde a sua fundação, vai além do que qualquer outro veiculo de massa conseguiu. O alcance de suas transmissões, que cobrem mais de 98% do território nacional, mostra o Brasil aos brasileiros. O Brasil que a Globo quer que seja visto, é claro.

Além disso, com a grande presença que possui no mundo, esse Brasil e esse brasileiro é internacionalizado, e graças a isso, nossas tramas possuem um prestígio gigantesco lá fora - fato que o Globo Repórter chegou a citar - e a qualidade dessas tramas já trouxe 4 Emmys pro país. A única atriz brasileira a ganhar o prêmio define ao que se deve o sucesso da emissora.

Fernanda Montenegro (Foto: Divulgação)
Fernanda Montenegro (Foto: Divulgação)

"É uma extraordinária casa para se trabalhar. Uma visão extremamente respeitosa para com os seus funcionários. (...) e tem uma programação extraordinária, que você pode gostar, pode não gostar, tem uma diversificação. (...) No meu setor, que é o de dramaturgia, nós temos um processo de trabalho qualificado, que produz e exibe. E eu acho que é um tipo de valor que não tem no mundo." Fernanda Montenegro.


Comentários
TOPO